Pular para o conteúdo principal

Jovem luta para que Sebo continue a existir no interior de SP

Do jornal A CidadeMarcelo Vinícius Campos Amédi, 25 anos, publicou recentemente no Reclame Votuporanga o seu pedido de ajuda para que o Sebo continue na cidade. “Venho pedir humildemente aos leitores e não leitores a ajuda de poder manter o Sebo aqui em Votuporanga. Estamos prestes a não mais permanecermos ativo. Um sonho de quase 3 anos está prestes a deixar de existir, pois Votuporanga não tem um público ativo a cultura de livros, infelizmente. Mas somos teimosos, queremos ver esta cultura aqui em Votuporanga, pois o Sebo foi criado para isso. como vocês poderiam nos ajudar: na doação, nas trocas e compras dos nossos produtos (livros, vinil, gibis, hq, gibi, revistas entre outros). Agradeço a ajuda de todos desde já. Rumo à cultura literária”, escreveu.  

História. O jovem mantém há três anos o Sebo, espaço destinado para a doação, troca ou compra de livros, DVD’s e LP’s antigos ou recém-lançados e que podem ser adquiridos a um preço popular. Tudo começou em uma casa na rua Piauí. “Sentia que em Votuporanga não existia um espaço destinado para a venda de livros a preços populares. Como alguns amigos de São Paulo mantinham o projeto, resolvi criar o Sebo, destinado para a compra ou troca deste material”, falou. Os preços variam de R$ 0,50 até coleções de R$ 200, onde em livrarias poderiam ser adquiridas por até R$ 400. Vários autores de obras clássicas já passaram pelo Sebo, como por exemplo, Jorge Amado, Machado de Assis, Fernando Pessoa e Miyamoto Musashi.
FLIV. O projeto esteve presente nas duas últimas sessões do Fliv (Festival Literário de Votuporanga), onde contou com o prestígio da população, mas na opinião de Marcelo, somente no respectivo evento é que as pessoas procuram pelos livros. “Sendo assim, não existe uma demanda que faça o projeto ir para frente, isto porque o Sebo é 100% independente”, frisou.
ApoioEle disse que não chegou a pedir um apoio da Prefeitura para manter o sebo, até porque não vê como o Poder Público poderia ajudar no projeto. Um dia ele conversou com a então secretária de Educação, Cultura e turismo, Eliane Godói, que deixou a pasta neste ano. Na oportunidade, Marcelo disse que gostaria de levar o Sebo até as escolas, estimulando os estudantes à leitura e também na troca e compra de livros. Agora, ele pensa em conversar com a titular da pasta, Silvia Rodolfo, para falar sobre a ideia de transformar o sebo em algo itinerante. “Indicaram eu ter uma Van, para levar o projeto de escola em escola, mas o veículo é caro. Enfim, ideias para não deixar o projeto morrer, nós temos, mas precisamos de apoio”, disse. O Sebo pode acabar por falta de procura. “O Sebo vive de livros e leitores. Se não existir este público, pode terminar. Não quero que este projeto morra, mas a gente fica desanimado pela falta de interesse”, falou.

Comentários

EM ALTA NA SEMANA

Checklist Turma da Mônica - Janeiro/2018

A Panini divulgou as capas das principais revistas de Janeiro de 2018, com uma novidade nada agradável. As revistas Mônica, Cebolinha e almanaques passarão a custar R$6,00, e não mais R$5,50.  As revistas com 68 páginas terão seu valor reajustado de R$4,50 para R$5,00. Outras revistas também serão reajustadas. Vale lembrar que este é o terceiro aumento desde 2016.

Mônica 33: “Os quatro amigos ilhados” 
Roteiro: Emerson Abreu Mônica, Cascão, Cebolinha e Magali vão parar em uma ilha deserta e precisarão colaborar para poder voltar para casa.


Cebolinha 33: “Uma noite no cemitério” Roteiro: Emerson Abreu Cebolinha, Mônica e Cascão perseguem Monicão para dentro de um cemitério e acabam atravessando uma passagem que os leva a um mundo paralelo. 

Checklist Turma da Mônica - Julho/2015

atualizado em 20/07 10h12m

A página das Revistas da Turma da Mônica no Facebook se adiantou e divulgou algumas das capas e sinopses dos gibis de Julho/2015.


Capas caprichadíssimas, com destaque para Mônica, que traz de volta a personagem Soninha, Magali, com paródia ao filme Malévola e Chico Bento, em mais uma edição de aniversário.

O Almanaque do Louco está retornando as bancas, depois de ter uma interrupção. Sua última edição foi em ago/14, mas, o site da Comix divulgou a capa da revista como se fizesse parte do Checklist de Julho, sendo que o Almanaque é publicado em fevereiro e agosto. Resta aguardar até que o gibi chegue as bancas.
Veja abaixo as sinopses e capas:

As 100 edições do Cebolinha na Panini

Desde janeiro de 2007, os gibis da Turma vem sendo publicados pela editora italiana Panini. O contrato vai até 2020, por enquanto. É uma parceria boa, porque se olharmos em qualidade de impressão, a Panini é a melhor das editoras que já publicaram as revistas da TM.  Nesta série do Quadrinhada, abordaremos as 100 edições de cada um dos personagens.

CEBOLINHA - A PRIMEIRA EDIÇÃO  




Como foi a primeira edição: a revista do Cebolinha de número 1 na Panini foi publicada em janeiro de 2007, com 68 páginas e por R$2,90. Todas as revistas de nº1 tinham o selo "Edição de lançamento", além de um frontispício sobre a mudança de editora. A capa traz Xaveco e Cebolinha numa viagem pelos altos mares. A revista traz as seguintes histórias:


Dois pestes e um só plano infalível (17 páginas)Tirinha de duas páginas do CebolinhaQual é a cor da paz? (9 páginas)Big Rolo Brasil (12 páginas)Tirinha de uma página do CebolinhaRoupa nova (3 páginas)A vassoura, o formigueiro e a morsa voadora (12 páginas)