Pular para o conteúdo principal

Quadrinhopédia: A SOMBRA DA MÔNICA

POR FABIANO CALDEIRA/ ESPECIAL PARA O QUADRINHADA

A Coleção Histórica da Turma da Mônica é o que de melhor termos em questão de histórias produtivas ao nosso lazer; isso deve-se ao fato de que somos marmanjos com bastante idade e essas tramas, ainda que em seu universo ingênuo de crianças, possuem uma certa genialidade.

Em "A SOMBRA", Mônica conversa com Magali sobre não conseguir brincar de fazer figuras com a sua sombra. A sombra, longe do alcance das duas, então se irrita porque se sentiu desqualificada e resolve ir passear por aí pra "tomar um ar". 

No decorrer da trama, ela vai encontrando com os personagens da turma e eles chegam a pensar mesmo que trata-se da Mônica. Foi engraçada a felicidade do Cascão que pensou que ela tivesse aderido à sujeira simplesmente porque ela estava toda negra. 

Quando o mal entendido é desfeito, a rapaziada começam a pensar que a tal menina misteriosa deve ser alguém igual à Mônica e, com isso, procuram confrontar as duas. Acontece que a sombra dá uma surra na Mônica e, de repente, todo mundo fica com dozinha dela. 

A sombra é abandonada. De um instante em que esteve rodeada de amigos, repentinamente viu-se solitária e deslocada naquele mundo. Restava-lhe procurar abrigo da única forma que lhe convinha, como a sombra da Mônica. O final é engraçado, pois, mesmo sem saber, Mônica dá o troco à sombra na questão da surra.

Esta revista é a "Mônica 37", que também traz uma teoria bastante fantasiosa sobre os primórdios do chapéu em uma situação envolvendo diretamente o Horácio. Uma nave extraterrestre pousa na cabeça do pequeno dinossauro. convictos de que ele é uma espécie inofensiva, resolvem ficar por ali, espiando toda aquela atmosfera terrestre para, dentro em pouco, colocarem em prática o plano de invasão à Terra. Quando eles iam começar a fazer isso, avistam uma porção de seres os quais eles denominam inimigos e, diante da coletividade, acabam chegando à conclusão de que melhor seria abortar a invasão e deixarem o planeta o quanto antes. Ainda bem que eles não "pagaram pra ver", pois os tais ditos inimigos nada mais eram do que objetos inanimados que estava enfeitando as cabeças dos amigos de Horácio como se fossem chapéis.

Acho que essa HQ é uma daquelas piadinhas que os artistas, de vez em quando, pensam em fazer apenas para eles mesmos sentirem mais prazer na produção, pois nota-se que a nave foi criada assim mesmo, como um chapéu, e que todo mundo via o Horácio passar com aquele suposto chapéu. Uma fantasia bem brincalhona. Suponho que devem ter sido mais divertido para eles (os artistas) do que para o leitor.






Comentários

  1. As duas HQs sao muito boas, o soco q a sombra dá na Monica é muito legal, com essas estrelas aparecendo e a Monica voando,e essas do Horacio sao sempre um show.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, também gostei das cenas da Mônica apanhando. Show de bola!

      Abração!!

      Fabiano Caldeira.

      Excluir

Postar um comentário

O Quadrinhada não se responsabiliza pelos comentários aqui publicados. Qualquer informação expressa é de total responsabilidade do autor. Comentários com palavrões serão excluídos.

EM ALTA NA SEMANA

Jogo do Cascão: conheça a desenvolvedora que criou o game da Turma da Mônica

A desenvolvedora brasileira Insane Games aproveitou a onda dos jogos para redes sociais e hoje se especializou um aplicativos para celulares. A reportagem conversou com o empreendedor Diego Beltran (28), dono do negócio, e com o diretor de áudio Kauê Lemos (24) sobre o novo projeto da companhia: o Jogo do Cascão, em parceria com a Mauricio de Sousa Produções. Confira detalhes da criação na entrevista a seguir. Turma da Mônica é casual “Jogos para celulares são naturalmente mais casuais, porque são fáceis de se jogar enquanto está em uma fila de espera ou num elevador. Os personagens cartunescos do Mauricio de Sousa vestem este conceito como uma luva”, nos explicou Diego Beltran, o CEO que começou a curtir o Atari e o Nintendinho 8 bits quando ainda estava engatinhando. E o Jogo do Cascão não foi o primeiro de sua empresa, a Insane Games. O executivo falou um pouco do primeiro jogo envolvendo os personagens de um dos quadrinhos brasileiros mais consumidos no país: “O primeiro game desta s…

As 100 edições da Magali na Panini

Desde janeiro de 2007, os gibis da Turma vem sendo publicados pela editora italiana Panini. O contrato vai até 2020, por enquanto. É uma parceria boa, porque se olharmos em qualidade de impressão, a Panini é a melhor das editoras que já publicaram as revistas da TM.  Nesta série do Quadrinhada, abordaremos as 100 edições de cada um dos personagens.

MAGALI - A PRIMEIRA EDIÇÃO



Como foi a primeira edição: a revista da Magali de número 1 na Panini foi publicada em janeiro de 2007, com 68 páginas e por R$2,90. Todas as revistas de nº1 tinham o selo "Edição de lançamento", além de um frontispício sobre a mudança de editora. A capa tem Magali falando ao telefone e Mingau dormindo ouvindo música. A revista contém as seguintes histórias:


Toda prova de amor (11 páginas)O sinal (2 páginas)Tina (4 páginas)História de uma página da MagaliUm olhar diz tudo (4 páginas)Um jeitinho novo de pedir (5 páginas)Ajuda certa (2 páginas)O mistério dos irmãos gêmeos do Dudu (27 páginas)
Nesta revista, …

Comix revela algumas capas do mês

O maior site de venda de quadrinhos pela Internet divulgou pela segunda vez as capas 'apressadamente'
MATHEUS FERNANDES